Centro Comunitário da Paróquia S. Pedro de Aradas

Missão e Valores

Missão, Valores, Visão e princípios de atuação – Área da Infância

Esta Instituição surgiu por iniciativa da Paróquia de São Pedro de Aradas e define-se como um serviço à comunidade, que na área da infância define-se por permitir aos pais/encarregados de educação/representantes legais, no exercício da sua liberdade, a escolha de um espaço educativo para os seus filhos/educandos. Pretende “Promover a integração de crianças, famílias e grupos que por qualquer situação deficitária de ordem física, emocional ou social se encontram em risco de privação e/ou marginalização social” e oferecer um serviço flexível e multifuncional, adotando uma abordagem global relativamente às crianças e às famílias, reconhecendo a amplitude e interdependência das suas necessidades – prestação de cuidados, educação, saúde, socialização, apoio social e recreação.

Missão, Valores, Visão e princípios de atuação– Área Sénior

A ideologia desta área faz-nos entender que acolher idosos significa cuidar do outro, não só com competência profissional, mas também com a sensibilidade que qualquer pessoa, particularmente desta faixa etária, necessita e merece.

Assim, uma estrutura residencial deve influenciar a vida da comunidade em que se insere e estar permeável às características e influências do exterior. Para se definir melhor, podemos dizer que é através da sua missão que a organização institucional expressa de forma clara o seu contributo para o bem-estar de todos os residentes. Assim, o Lar Paroquial Amélia Madail tem como missão melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas, assegurando um conjunto de cuidados básicos, de saúde, de apoio social e espiritual, promovendo a autonomia e melhorando a funcionalidade da pessoa em situação de dependência.

São valores fundamentados para esta área de intervenção que os seus serviços promovam o humanismo e proximidade, onde o estranho que bate à porta e integra a nossa residência passe e se transforme no Irmão a acolher, a amar e a dignificar.

A concretização destes fins só é possível, plenamente, com o cumprimento de diretrizes que orientam todos os agentes/colaboradores/voluntários/técnicosquanto à definição e adoção de melhores práticas, na tomada de decisões de bem relativas a questões éticas. O ser humano é capaz dos comportamentos mais nobres e belos. Este código apela ao mais profundo de nós e evoca uma “regra de ouro” cristã: “Tudo o que desejais que os outros vos façam, fazei-o também vós a eles”. (Mt 7,12)

Existem princípios fundamentais e determinantes para a intervenção coerente e assertiva da estrutura residencial, nomeadamente:

– Respeito absoluto e zelo singular pela dignidade das pessoas, reportando à direção indícios ou situações de abuso e/ou maus tratos ou negligência (consultar o Manual de Gestão de Maus Tratos, elaborado pela Equipa Técnica da Estrutura Residencial – disponível no arquivo documental da instituição);

– Respeito pela individualidade, confidencialidade e privacidade de cada pessoa e de todos os elementos que lhe digam respeito;

– Promoção da igualdade de oportunidades e de tratamento a todas as pessoas que procuram os nossos serviços, ou estes integram, com vista a satisfazer as suas necessidades e expectativas legítimas;

– Comprometimento pela melhoria contínua dos serviços, trabalho em equipa, solidário, sério e dinâmico que promova a cidadania, a inclusão e participação de todos, sem discriminação;

– Cultivo do sentido de pertença, do sentido unitário, através de uma conduta justa, que não tem por objetivo o lucro material, usufruído pelo lucro dos serviços, ou benefício com a exploração de fragilidades de situações ou pessoas;

– Promoção de um “ser”, um “fazer” e um “estar” solidário e caritativo, que de forma incondicional acolhe, cuida e ama os que recorrem e integram os serviços, respondendo às suas necessidades com a dádiva de si próprio;

– Vivência dos valores cristãos, concretizados na caridade cristã, que convidam a transformar o estranho num irmão a amar: “Vai e faz também tu o mesmo”. (Lc 10, 37);

– Apelo ao mais profundo do ser humano, à sua beleza interior, bondade, honestidade, integridade e altruísmo;

– Preservação ambiental e respeito pela vida, através do cultivo de boas práticas;

Confiança e Honestidade: é promovida a confiança nas práticas da Instituição, cimentada na transparência e seriedade dos serviços prestados;

Responsabilidade Social: é preocupação constante da Instituição dar resposta às diferentes problemáticas sociais da comunidade, promovendo a efetiva inclusão social dos utentes;

Humanização: é potenciada a humanização do atendimento e das relações com equidade, aproximando as pessoas através da consolidação dos afetos;

Individualidade e Dignidade: é respeitada a especificidade de cada pessoa que procura os nossos serviços, com uma atenção especial às suas potencialidades, conferindo-lhe a dignidade como um bem absoluto;

Melhoria contínua: é fomentado um trabalho em equipa que assegure a melhoria da qualidade de vida das pessoas que nos procuram, através de um serviço atento, dinâmico e em contínua avaliação;

Culto católico: Sendo o Centro Comunitário da Paróquia de S. Pedro de Aradas, Lar Paroquial Amélia Madail, uma instituição da Igreja Católica, a doutrina cristã continuará a ser o “alicerce” fundamental que preside toda a sua atuação, nomeadamente na sua prática diária da arte de bem cuidar à luz da caridade evangélica e na vivência das grandes solenidades litúrgicas, vivência da oração mariana, reflexões de caris espiritual, administração de sacramentos e assistência espiritual. Estas atividades decorrerão durante o ano de um modo regular, de acordo com o calendário próprio. Porém, podemos referir: – oração do terço diário; – missa dominical vespertina (ao sábado); – sacramento da reconciliação nos tempos fortes e sempre que oportuno; – e sacramento da Santa Unção àqueles que o desejam.

Resumindo, a atuação dos recursos humanos do Lar Paroquial Amélia Madail assenta em princípios e valores, que têm como principal objetivo respeitar os direitos fundamentais da pessoa humana garantindo-os, assim, a todos os seus utentes.

Deste modo, são valores básicos de atuação dos colaboradores do Lar: Dignidade da pessoa humana; Respeito; Individualidade; Autonomia; Direito de escolha; Privacidade e intimidade; Confidencialidade; Igualdade; Participação.